Dilma Rousseff e Marina Silva se pronunciam sobre morte de Eduardo Campos

“Espero que o exemplo do Eduardo campos sirva para mantê-lo vivo na memória e corações dos brasileiros”, disse Dilma Rousseff.
A Presidente Dilma Rousseff (PT), que cancelou todos os compromissos desta quarta-feira (13), se pronunciou sobre a tragédia ocorrida com o ex-governador Eduardo Campos, candidato à presidência pelo PSB.

Dilma relatou que o Brasil perdeu um grande homem que poderia galgar os altos postos do país.

A candidata do PT falou que o respeito mutuo entre ela e Campos iam para além das divergências políticas.

“Espero que o exemplo do Eduardo campos sirva para mantê-lo vivo na memória e corações dos brasileiros”, disse Dilma Rousseff.

Marina Silva deu entrevista visivelmente abalada. A candidata a vice-presidente na chapa da coligação liderada pelo PSB, Marina Silva, disse em pronunciamento nesta quarta-feira que a morte do candidato à Presidência pelo partido, Eduardo Campos, "é sem sombra de dúvida uma tragédia".

"Nos 10 meses de convivência, aprendi a respeitar, admirar e confiar nas atitudes e ideais de Eduardo Campos", disse Marina a jornalistas em Santos, onde o avião que levava o socialista para cumprir agenda de campanha caiu, deixando mortos as sete pessoas a bordo.

Marina terminou seu pronunciamento sobre a morte de Campos sem responder a perguntas de jornalistas.

Eduardo Campos

Campos foi governador de Pernambuco por dois mandatos consecutivos, de 2007 a 2014, e se licenciou do cargo neste ano para concorrer à Presidência da República. Antes de se eleger governador, Campos foi deputado por três mandatos consecutivos. Em 2005, o político pernambucano se tornou ministro da Ciência e Tecnologia do governo do então presidente Luiz Inácio Lula da Silva.

Redação
WSCOM Online