Homem mata mulher após ver textos de traição no WhatsApp


Uma mulher de 25 anos morreu após ser esfaqueada pelo companheiro na manhã desta quinta-feira (18) em um sítio no Distrito de Taiaçupeba, em Mogi das Cruzes (SP). Segundo a Polícia Militar, o homem de 34 anos confessou ter matado a mulher depois de ler mensagens no aplicativo WhatsApp. O casal estava junto há quase dois anos.

De acordo com a PM, o suspeito confessou que cometeu os crimes após ler as mensagens no aplicativo. "Ele disse que estava desconfiado da traição há um tempo, que já tinha visto mensagens antes e que hoje pela manhã voltou a ver", informou Antônio Carlos Bono, 1º sargento da Polícia Militar.

De acordo com Bono, o marido relatou ter ido tirar satisfação com a esposa e que ela confessou a relação extraconjugal com o chefe. A vítima trabalhava em uma loja de roupas íntimas, na região central de Mogi das Cruzes. A mulher também teria dito que iria viver com o chefe na casa dos dois, por isso o suspeito deveria abandonar a casa.

A mãe do suspeito interviu durante a briga e também chegou a ser esfaqueada, segundo a PM. "Ele desferiu golpes de facão em sua companheira, fez na presença da própria genitora, que chegou a tentar impedi-lo do crime, mas ela foi inclusive atingida por golpes de facão. A genitora correu para a base de Taiaçupeba, onde a PM irradiou a ocorrência e as equipes chegaram logo em seguida", contou o tenente da PM Fábio Shultze. Depois, ela foi levada para o SUS onde recebeu cuidados médicos.

Segundo a Polícia Militar, os policiais chegaram ao sítio pouco tempo depois e o suspeito já estava tentando esconder o corpo. "Quando chegamos ao local ele estava cavando um buraco para colocar o corpo dentro da cova. Ele já havia tomado banho inclusive", aponta o policial militar.

De acordo com o sargento Bono, o suspeito havia levado o corpo da companheira para o alto do morro, próximo ao buraco que estava cavando. Ele não apresentou resistência. "Assim que chegamos ele já confessou o crime, disse que perdeu a cabeça por ter descoberto a traição", comentou.

A PM qualificou o crime como passional. O celular com as supostas mensagens do WhatsApp não foi encontrado pelos policiais militares. Na casa, foram aprendidos três facões, uma enxada, um carrinho de mão e um enxadão.

O suspeito foi levado para o 4º Distrito Policial, em Jundiapeba. O caso foi registrado como homicídio qualificado.

Fonte: G1