Bolsa Família: revisão cadastral 2014 entra na reta final

Famílias que já estão com benefícios bloqueados devem atualizar dados no Cadastro Único até 20 de março

Brasília, 10 – O prazo para revisão cadastral do programa Bolsa Família, referente a 2014, termina na sexta-feira (20). As famílias que não prestarem as informações terão os benefícios cancelados a partir de abril. A coordenadora-geral de Administração de Benefícios do Ministério do Desenvolvimento Social e Combate à Fome (MDS), Caroline Paranayba, explica que estão sendo convocados os beneficiários que não atualizam seu cadastro há mais de dois anos. 

As famílias que não fizeram a revisão cadastral até 16 de janeiro de 2015 já estão com o benefício bloqueado desde o mês passado e, se não fizerem a revisão até dia 20 de março, terão o benefício cancelado a partir do pagamento do mês de abril. A estimativa é de que aproximadamente 300 mil famílias ainda precisam atualizar o cadastro. Essas famílias representam o menor número de atrasos desde a criação do Bolsa Família, em outubro de 2003. O público inicial da revisão cadastral de 2014 era de cerca de 1,25 milhão de famílias. 

Ouça Boletim:

Desde o início do ano passado, as famílias estão sendo convocadas para a revisão cadastral por meio de mensagens escritas no extrato de pagamento do benefício. “Elas tiveram quase um ano para fazer a atualização junto ao setor responsável pelo Bolsa e pelo Cadastro Único. A família tem que estar atenta à mensagem contida no extrato”, afirma Caroline. 

Como fazer – Para atualizaras as informações, o titular do benefício – que tem o nome escrito no cartão de pagamento do programa – deve procurar o setor responsável pelo programa na sua cidade. É preciso levar os documentos obrigatórios (CPF ou título de eleitor) e algum documento dos familiares, como carteira de identidade, certidão de nascimento das crianças e carteira de trabalho ou de habilitação. Os comprovantes de matrícula das crianças na escola e de residência não são obrigatórios, mas são recomendados, pois deixam o cadastro da família mais completo. 

Quando o benefício é bloqueado, a família não recebe o dinheiro, mas ainda está vinculada ao programa. Quando o Bolsa é cancelado, ela é desligada do programa. Ainda assim – em um prazo de até seis meses contados a partir do desligamento –, a família pode procurar o setor responsável pelo programa na sua cidade, fazer a atualização cadastral e solicitar a reversão desse cancelamento. Caso continue a ter perfil para o atendimento do programa, ela poderá receber novamente o benefício.

Fonte: http://www.mds.gov.br