Didi da Ótica, o nome do PMDB para concorrer as eleições para o executivo de Piancó.

Fonte: Oblogdeíancó.
Divanildo Matias e sua esposa Toinha
O Partido do Movimento Democrático Brasileiro (PMDB), é um partido histórico na cidade de Piancó. Reza a lenda que o antigo MDB chegou à Pianco pelas mãos de Nitão (Primêndio) e Dr. Babá (Ademar Teotônio). Hoje o partido é presidido pelo Optometrista Divanildo Matias (Didi da Ótica), ex-vereador.

Pelos registros da história recente, surpreende que o PMDB tenha resistido a tantas pressões de governos ditatoriais, divisões internas, esvaziamento, crescimento, novas divisões e se mantenha como a legenda de maior base no território nacional.

O nome de Divanildo Matias (Didi) é a opção popular que o PMDB piancoense tem para enfrentar uma campanha Majoritária em 2016. Didi é um nome do povo, onde sua condição de cidadão ético e profissional, lhe dá base suficiente para uma boa aceitação do eleitor local. 

A história de Didi pode ser contada por qualquer piancoense, especialmente pelos moradores do Bairro Belo Horizonte, onde ele viveu quase toda sua vida.

Casado Antonia Almeida (Toinha, filha do ex-vereador João Piancó) e com uma família invejável, Didi é um homem do povo, sofre as mesmas necessidades que a maioria da população e conhece de perto os problemas de Piancó.

Hoje o PMDB podia ter na Câmara dois parlamentares. Mas fez a opção de lançar apenas um, e conseguiu eleger-se.

Sofrida, com maus e bons momentos, a história do PMDB é a história do Brasil que continuou pulsando a partir de 1964. Se manteve em movimento, com contradições, abrigou vários tipos de ideologias e tendências políticas, instigou, gestou outros partidos, mas se manteve no centro das discussões durante, na queda e após o regime militar. Hoje, para contar um pouco da história do PMDB é preciso não só falar da história do Brasil, mas de praticamente de todos os partidos, à sua esquerda, ou à sua direita. É por isso que o PMDB de Piancó precisa ter seu próprio candidato.