Desembargador que soltou o rico “cai fora” da Câmara Criminal e promotor pede prisão de Rodolpho



Do Paraíba Já 

O promotor de Justiça Marinho Mendes parabenizou, nesta terça-feira (31), o Tribunal de Justiça do Estado pela transferência do desembargados Joás de Brito Pereira Filho da Câmara Criminal para a Câmara Cível. “Essas trocas deveriam ser efetivadas antes de ocorrer o que ocorreu, pois dizer que a lei manda soltar matadores, é querer demais”, destacou em sua postagem.

Confira abaixo o texto na íntegra do promotor.

O Diário da Justiça publicou a transferência do Desembargador que soltou o matador do agente de trânsito, acabou atendendo o nosso pedido ainda que superficialmente, mas graças a Deus não é mais da Câmara Criminal. Pois é, ele saiu da Câmara criminal indo para a Câmara Cível. Ele trocou com o Desembargador Dr. Jose Aurélio o qual já era dessa área, pois foi juiz do 2º Tribunal do Júri muito tempo e agora chega novamente a uma Câmara Criminal.

Meus parabéns ao Tribunal de Justiça e que essas trocas deveriam ser efetivadas antes de ocorrer o que ocorreu, pois dizer que a lei manda soltar matadores, é querer demais e o pior, o presidente ou a presidente de associação de classe defender que o que fora feito é muito legal e muito bom aí é que é para chorar.

Meus parabéns a toda a Paraíba e a todos as mulheres e homens de bem que discordaram com as vísceras do que fora cometido, um grande desastre cometido por um homem do judiciário, o qual foi escolhido sem nunca ter sido juiz e é por isto que advogamos o fim dessa história de escolha de Juiz na OAB.

O nosso Ministério Público poderia efetivar um novo pedido de nulidade da decisão ao novo Desembargador Dr. José Aurélio e aproveito para agradecer às milhares de pessoas que leram o nosso humilde escrito. Um escrito de verdade, de fé que as coisas ainda podem mudar. Obrigado, foi todo o Estado que leu o nosso humilde artigo, pois estive em Guarabira e lá encontrei pessoas de Jacaraú, Pirpirituba, Belém, Pedro Régis e de Guarabira, além de Alagoa Grande e Alagoinha e Areia e outras cidades e todas me parabenizam, eu sei que não foi por conta do meu humilde escrito, mas pela coragem que temos que ter e é isto que nos propomos sempre.

Marinho Mendes Machado
Promotor de Justiça