Tovar diz que Governo não pode assistir de braços cruzados UEPB fechar suas portas

CRISE NA EDUCAÇÃO
O deputado estadual Tovar Correia Lima (PSDB) falou da situação que se encontra a Universidade Estadual da Paraíba (UEPB) e pediu que o Governo do Estado não deixe a instituição fechar as portas. Relatou que a entidade deve suspender 120 contratos de professores substitutos, adiando em cinco meses a entrada de alunos de 97 turma. “A UEPB é um patrimônio da Paraíba e não podemos assistir de braços cruzados a instituição caminhar para um fim”, disse.

O objetivo com os cortes é adequar a estrutura ao duodécimo que será repassado pelo Governo do Estado. As turmas teriam sua entrada na instituição remarcada para o mês de outubro. De acordo com o reitor Rangel Junior, a redução dos contratos daria uma economia de aproximadamente R$ 480 mil mensais, acumulando cerca de R$ 2,5 milhões a menos nas despesas em cinco meses.

“Com suspensão de contratos, os estudantes vão atrasar a sua formação acadêmica. Caso a mudança seja acatada pelo Conselho da entidade, não haverá segunda chamada este ano”, disse.

Em 2016, a despesa de pessoal da UEPB foi de R$ 260 milhões, enquanto para o custeio e investimento a universidade teve R$ 46 milhões, totalizando R$ 306 milhões. Desta forma, os valores a disposição para 2017, foram reduzidos em R$ 16 milhões. Houve um corte de R$ 27 milhões no duodécimo.

Assessoria