Preso na Operação Carne Fraca, veterinário chamava Lula de ladrão

Do www.netcina.com.br
O médico veterinário Flávio Evers foi preso nesta sexta-feira (17), pela Polícia Federal, no âmbito da Operação Carne Fraca. Ele é funcionário da Seara e suspeito de envolvimento no esquema de pagamento de propina a fiscais agropecuários.

Nas redes sociais, o veterinário aparece como um anti-petista e fez vários posts defendendo o rigor da Justiça no âmbito da operação Lava Jato. Em uma postagem em janeiro de 2015, ele republicou um post da página “Dilma Rousseff, NÃO”, que pedia ironicamente a importação de juízes da Indonésia depois da vinda de médicos cubanos. Na ocasião, a imprensa do Brasil repercutia a execução de dois brasileiros condenados no país asiático por tráfico de drogas.

Às vésperas do primeiro turno das eleições de 2014, o veterinário apoiava o movimento “Tirar o Brasil do Vermelho”, ao pedir a saída do PT do governo. O executivo era crítico do ex-presidente Luis Inácio Lula da Silva e da então candidata a Presidência Marina Silva.

Ele compartilhou um publicação da página “União Contra a Corrupção” dizendo que a ex-ministra até teria “muitas qualidades”, mas seria “fundamentalista religiosa”, “comunista de carteirinha” e “amiga íntima do LULADRÃO”.

O veterinário também publicou com o título “Sérgio Moro, o nosso homem da lei” e uma frase que diz: “Ética é o que você faz quando está todo mundo olhando. O que você faz quando não tem ninguém por perto chama-se caráter.”