BNDES inclui Cagepa nos editais de venda da instituição e Tovar acusa Ricardo de pirotecnia

FALTA TRANSPARÊNCIA 

O deputado estadual Tovar Correia Lima (PSDB), líder da oposição na Assembleia Legislativa, chamou de dúbia a postura do Governo do Estado por solicitar ao Banco Nacional de Desenvolvimento Econômico e Social (BNDES) que inserisse a Cagepa nos editais de licitação de projetos de participação privada na estatal. Para Tovar, o Governo não está sendo transparente sobre o assunto, já que nessa semana o governador concedeu entrevista coletiva para descartar a privatização da companhia.

“Se o governador não tinha interesse em privatizar a Cagepa, por qual motivo pediu que ela fosse incluída nos editais de licitação de projetos do BNDES para que se fizesse um estudo sobre a viabilidade de venda? Ora, não podemos aceitar essa pirotecnia, essa encenação pública por parte do governador, quando em surdina, o governo se comporta de outra forma”, declarou o deputado.

A Cagepa foi incluída no segundo grupo de Estados que terá estudos licitados pelo BNDES, entre os 17 que manifestaram interesse em participar do programa de saneamento desenhado pelo banco e incluído no Programa de Parcerias de Investimento (PPI) do governo federal.

As licitações serão realizadas pelo sistema de pregão eletrônico na modalidade de menor preço, através do portal de Compras Governamentais do governo federal. A abertura das propostas será feita nos dias 24 de abril, para os pregões do Acre e do Ceará, dia 25 de abril para Rio Grande do Norte e Paraíba e dia 26 de abril para Santa Catarina.

Assessoria