Delegado que apurava inquérito sobre a morte de Teori Zavascki é assassinado


Os dois delegados da Polícia Federal (PF) assassinados na madrugada desta quarta-feira no Bairro Estreito, em Florianópolis, atuavam no Rio de Janeiro. Elias Escobar e Adriano Antônio Soares estavam na cidade, segundo a assessoria de imprensa da PF, para um curso da instituição. Os dois tinham funções importantes dentro da corporação, principalmente Adriano, que em janeiro foi designado para comandar o inquérito que apura a morte do ministro Teori Zavascki, ocorrida em janeiro deste ano.

Adriano Antônio Soares, 47 anos

Atuava como chefe da Polícia Federal de Angra dos Reis desde 2009. Em janeiro deste ano, com o acidente aéreo que matou o ministro Teori Zavascki e mais quatro pessoas em Paraty (RJ), ele assumiu a investigação do caso. Na época, o delegado decretou sigilo sob a investigação. Soares era delegado da PF desde 1999.