Bebê que passou três meses internado na Maternidade Dr. Peregrino Filho vem a óbito após transferência para João Pessoa

Tatiana Silva com BO em mãos
A senhora Tatiana da Silva Pereira, residente em São Bento (PB), resolveu não mais se calar diante do caso do seu bebê, o pequeno Samuel. Ele nasceu na Maternidade Dr. Peregrino Filho, em Patos, há três meses, no entanto, prematuro e com um problema no esôfago que o deixou em estado grave de saúde e internado na Unidade de Terapia Intensiva (UTI).

Na última quinta-feira, dia 22, a senhora Tatiana da Silva decidiu tornar o caso público, pois, de acordo com ela, a demora em tomar medidas mais enérgicas para resolver o caso do pequeno Samuel, que necessitava de cirurgia reparadora e essa só poderia ser feita no Hospital Maternidade Arlinda Marques, em João Pessoa, estava demorando muito e o estado de saúde do bebê só se agravou.

Bastante abalada, Tatiana ligou para a Rádio Espinharas, durante o Programa Polêmica e relatou que já não sabia mais o que fazer, pois havia deixado uma filha de 8 anos em São Bento e seu esposo. Ela estava desde o nascimento do pequeno Samuel em Patos, mas não via melhoras e nem a tomada de providências para que o seu bebê superasse a fragilidade de saúde. Além de denunciar na rádio, ela também registrou um Boletim de Ocorrência na Delegacia de Polícia Civil relatando que não se efetuavam uma transferência para sua criança que estava cada vez mais debilitada.

Após os apelos na rádio por duas vezes, recebendo a solidariedade da sociedade e indignada diante da falta de atitude por parte da direção da Maternidade Dr. Peregrino Filho, a mãe disse que estava se sentindo humilhada, pois em determinado momento, a Maternidade queria que ela conseguisse uma ambulância invés da direção do órgão. Depois de uma verdadeira batalha por não aguentar mais três meses de silêncio, a mãe teve seu pedido de transferir o seu bebê atendido, mas ao chegar em João Pessoa o pequeno Samuel não resistiu e faleceu na Maternidade Arlinda Marques.

A senhora Tatiana Silva disse que não se queixa das equipes da Maternidade Dr. Peregrino Filho, mas sim da falta de atitude da direção para se mobilizar diante da transferência do seu filho para um local que, de fato, resolvesse o problema de saúde do pequeno Samuel. A demora para a transferência pode ter sido um dos fatores de agravo na saúde já débil do bebê.

Em nota, a Maternidade Dr. Peregrino Filho relatou que desde o nascimento, com apenas 26 semanas, o prematuro da senhora Tatiana da Silva, vinha recebendo todos os cuidados da equipe da UTI Neo Maternidade e que desde que foi constatada a suspeita de estenose de esôfago e fistula tracoesofágica, vinha se tentando a transferência para o Arlinda Marques e Hospital Universitário. Fato ocorrido neste sábado, dia 25.

Jozivan Antero – Patosonline.com

OUÇA entrevista concedida pela senhora Tatiana ao jornalista Higo de Figueiredo, da Rádio Espinharas: