‘Inverno’ no Sertão termina com déficit


Açude Coremas, o maior da PB, está localizado no Sertão e tem só 8,2% da água que pode juntar (G1/Reprodução TV Paraíba)
Dois municípios da região tiveram chuvas acima da média anual. Junho começa com 11 açudes secos e outros 31 na lama

O inverno só começa, oficialmente, daqui a 17 dias (21 de junho), mas o período chuvoso no Sertão da Paraíba, já acabou. Mesmo assim, o saldo hídrico continua negativo: mais de 70% dos açudes estão em situação crítica ou em observação. Os meteorologistas dizem que até pode chover na região, mas, historicamente, a tendência é que as chuvas – que nem foram tão boas – se tornem cada vez mais escassas.

O período chuvoso na região mais seca do Estado é entre fevereiro e maio. Segundo a meteorologista da Agência Executiva de Gestão das Águas (Aesa), Carmem Becker, as precipitações este ano foram melhores do que em 2016, mas ainda não bastaram para encher os reservatórios de uma região que não recebe água suficiente desde 2012. “As chuvas foram irregulares e favoreceram mais algumas áreas que outras”, disse.

No Litoral, Agreste e Brejo, o período mais chuvoso é entre abril e julho. Segundo o gerente de Monitoramento e Hidrometria da Aesa, Alexandre Magno, a avaliação oficial do período chuvoso na região deve ser fechada pela agência nos próximos dias, mas, a partir dos dados parciais disponibilizados, já é possível fazer algumas leituras.

De um total de 46 municípios sertanejos que o blog conseguiu analisar os dados, apenas dois registraram chuvas acima da média histórica esperada para o ano. O restante apresenta déficits que vão de 5,4% a 78,5%. E, apesar da comparação ser com a média anual, a situação não deve se alterar drasticamente, considerando que o “inverno” no Sertão já terminou.

As chuvas em 46 municípios sertanejos

Fonte: Gerência de Monitoramento e Hidrometria da Aesa

11 açudes completamente secos
Dos 126 açudes monitorados pelo Aesa, somente dois estão sangrando: Vazante, no município de Diamante (Sertão) e São José II (em Monteiro). Ainda de acordo com o relatório da Aesa, 11 reservatórios estão zerados, todos nas regiões do Cariri/Curimataú e Sertão. Outros 31 estão com menos de 5% do volume que podem guardar.

Os dois maiores açudes da Paraíba ficam no município de Coremas, no Sertão: Coremas e Mãe D’Água, com capacidade para juntar quase 600 milhões de metros cúbicos de água, cada um. Nesse fim de período chuvoso na região, a situação deles é crítica. Estão com 8,2% e 5,4% de água, respectivamente. Em situação parecida estão outros dois grandes açudes da região, Engenheiros Avidos e Lagoa do Arroz, em Cajazeiras.

Andréa Batista, jornalista freelancer

Do blogs.jornaldaparaiba.com.br