Maternidade Dr. Peregrino Filho, de Patos: NOTA À IMPRENSA


A direção da Maternidade Dr. Peregrino Filho se solidariza com a dor da família e lamenta que o bebê, nascido no dia 29 de março, não tenha conseguido sobreviver a grave prematuridade (ele nasceu com 26 semanas e pesando 700g), associada a uma estenose de esófago e fístula tracoexofágica.

Desde de que o bebê nasceu e que foi constatado a necessidade de sua transferência devido ao quadro de saúde frágil, que a direção assistencial da Maternidade fez a solicitação de regulação para o Arlinda Marques e/ou Hospital Universitário, em João Pessoa e reiterava o pedido regularmente, conforme registros e documentos no prontuário do RN.

Por falta de vagas, a transferência só aconteceu no último sábado (25). Vale salientar que a regulação de transferência, só pode ser realizada quando há vaga disponível e quando isso ocorreu, em menos de 24 horas, mesmo em meio a um feriadão, foi mobilizada toda uma equipe multiprofissional, além da ambulância para que a transferência ocorresse.

Enquanto o bebê permaneceu na UTI Neo da unidade, teve toda a assistência necessária para preserva-lhe a vida, tanto que seu quadro se manteve estável, inclusive com ganho de peso e evolução de seu quadro clínico.

Direção da Maternidade Dr. Peregrino Filho, de Patos