Presidente da Câmara de Piancó pode ser afastado.

Imagem do Google
O Poder Legislativo de Piancó adentrou num período de crise nesta quinta-feira (22) após o anúncio do afastamento do presidente da Câmara Municipal, requerido por Flávia Serra Galdino. Sob alegação de que o presidente desrespeitou por diversas vezes o regimento interno da Casa, a ex-gestora assinou o requerimento para afastar Antônio Azevedo Xavier (PTN) da presidência por 15 dias. A medida não foi reconhecida pelo parlamentar, o qual se nega a aceitá-la dizendo-se vítima de um golpe arquitetado pela Prefeitura em retaliação às investigações que o mesmo vem promovendo.

Um dos representantes do grupo insatisfeito com o presidente, o vereador Waguinho Brasilino (DEM) afirmou que a medida de afastamento vai funcionar como última alternativa diante de sucessivas irregularidades no que diz respeito ao regimento interno (documento que contém as regras do funcionamento do Legislativo), principalmente na condução das sessões e no desconto indevido dos subsídios dos parlamentares. “O senhor Hermógenes age de forma ditatorial ao dirigir essa casa, não cumpre o regimento interno, atropela os colegas vereadores e ainda comete o absurdo de deduzir valores nos salários, trazendo a todos enormes prejuízos”, afirmou Waguinho.

Com o afastamento requerido, após cumprida a tramitação legal,o vice-presidente Pedro Aureliano (PT do B) deve assumir o cargo de presidente a partir da seguinte sessão ordinária

O grupo de vereadores da situação ainda anunciou que vai buscar, liminar judicial contra alguns atos do atual presidente.

Fonte Assessoria