Vereadores afastam presidente da Câmara de Conde sob acusação de enganar o Sagres e superfaturar até no cafezinho

Em maio, uma ação popular protocolada na Justiça, já pedia o afastamento de Naldo Cell da presidência da Câmara (Foto: Da Rádio J.A)
O pedido de afastamento foi apresentado pelo vereador Malbatan Neto (SD) e acatado pela maioria. Naldo Cell deve ficar fora por 20 dias enquanto os vereadores apuram as denúncias

Os vereadores do município de Conde, no litoral sul da Paraíba, decidiram afastar nesta segunda-feira (7) o presidente da Casa, Ednaldo Barbosa da Silva (PT). Naldo Cell, como é mais conhecido é acusado de improbidade administrativa, favorecimento pessoais e suspeita de desvio de dinheiro.

O pedido de afastamento foi apresentado pelo vereador Malbatan Neto (SD) e acatado pela maioria. Naldo Cell deve ficar fora por 20 dias enquanto os vereadores apuram as denúncias. O vice-presidente da Câmara vai dirigir a Mesa Diretora nesse período.

A Câmara também instalou uma Comissão Processante para investigar as acusações e Da Silva terá cinco dias para provar que não fez nada.

Na sessão desta segunda-feira (7), que foi marcada por denuncia contra o presidente, Naldo Cell ainda chegou a abrir os trabalhos, mas foi retirado pelos vereadores.

Na sessão, os parlamentares se queixam de falta de transparência administrativa, em supostas alterações dos dados no Sagres (Sistema de Acompanhamento da Gestão dos Recursos da Sociedade) do TCE e até de possível superfaturamento na compra do cafezinho.

Em maio, uma ação popular protocolada na Justiça, já pedia o afastamento de Naldo Cell da presidência da Câmara.

A ação, assinada pelo advogado Carlos Magno, apontou que o parlamentar teria contratado uma empresa pertencente à mãe dele para executar obras na Câmara. O advogado diz que foram pagos R$ 10,5 mil no contrato, embora a obra não tenha avançado.

Outra queixa apresentada contra Naldo diz respeito ao gasto de R$ 23 mil com a locação de veículos, além de suposto uso de veículo da Câmara Municipal para fins particulares.